Pensamento de um não engenheiro!

quarta-feira, 11. maio 2011

Estávamos em uma reunião, coisa seria, todos sérios.

Somos a SCAC e estamos vendendo, neste caso, uma solução em fundações pré-moldadas com nossas estacas centrifugadas.

Peco permissão para um momento de “marketagem”: as primeiras e melhores do Brasil!

Importante frisar que temos consciência que não em todos os solos temos uma vantagem competitiva ou nossa solução é a mais indicada.

Neste caso, estávamos diante de uma solução em hélice para um solo mole.

Começamos mostrando ao cliente o SOLO:

Sendo mole, não ha como imaginar que o mesmo possa oferecer contenção a injeção a alta pressão do concreto. Isso é FATO!

Mas aí o cliente diz: “usamos camisa metálica…” ,

e nós respondemos “e o custo?”

Aí abordamos o quesito orçamento:

O cliente vira e diz “ a SCAC está mais cara!”

A pergunta que não quer calar é:

“baseado em que?
O que está sendo oferecido?
Está falando de uma solução completa de fundações ou de aluguel de maquina?
Quem paga o concreto?”

Normalmente, e dessa vez foi igual, um momento de silencio paira no ar…

Dito isso, para que se fale de custo…

ora….

SE
em nossa estaca o volume de concreto é 3x menor em media, já que o cliente só paga pelo concreto real do produto e não por aquele que acaba penetrando inutilmente no solo e concretando o planeta terra, sem contar que nossa estaca é vazada..

ENTÃO
como é possível que sejamos mais caros?

Asseguro que temos uma politica de preço justa, que busca o equilíbrio entre os interesses da empresa e os da sociedade, por isso estamos no mercado há 51 anos.

Outra questão de um não engenheiro:

Aprendi após anos neste mercado algo incrível e inimaginável:

O planeta terra não é de terra!

Aliás acho que a única terra do planeta é a do vaso lá de casa, pelo menos assim estava escrito no saco que comprei…

Argila dura, mole, areia, pedrisco, silte, solo lateritico, saprolitico, argila siltosa, fina, media ou grossa, pedregulho, silte argiloso, rocha fragmentada, alteração de rocha, saprolitico de gnaisse ou de granito, agila orgânica quaternária ou de baixada litorânea………….. e sem falar no lençol freático e suas derivações…

Cada um desses materiais tem suas características, densidades, compacidade, dureza e complicações.

Tudo isso faz com que o mundo abaixo de nossos pés seja, muitas vezes, irregular, tipo essa imagem aqui em baixo.

Perfil do Solo 2

Ora…

SE
Lá no fundo é tudo diferente.

ENTÃO
Como pode a fundação ser executada toda igual?
Com as mesmas profundidades?
Como pode ser uma fundação segura um furo feito a X metros, já que a sondagem diz isso?

Em nosso caso, por CRAVARMOS a estaca, nos orientamos pelas sondagens, mas obviamente vemos desvios, as vezes não indiferentes, daqueles obtidos por elas.

Não é que a sondagem seja ineficaz, mas o cara tem que dar a sorte de fazer a sondagem no exato lugar onde pode ter uma interferência ou uma depressão!

Não sou engenheiro, sou um atento observador.

Isso não é um texto de marketing, é um pensamento e questionamento de uma pessoa que busca respostas para a segurança minha e de todos nós.

Obrigado a quem leu até o fim!